Lula recebeu dinheiro em espécie da Odebrecht, diz Palocci em delação

Em delação premiada, o ex-ministro Antônio Palocci disse ter entregue dinheiro em espécie de propina paga pela Odebrecht ao ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo a delação, Lula pedia a Palocci que não comentasse com ninguém a respeito do assunto. Palocci afirmou que a ex-presidente Dilma Rousseff, também do PT, soube dos pagamentos da Andrade Gutierrez ao MDB enquanto ainda era candidata e autorizou que continuassem. Dilma, entretanto, teria negado que fossem realizados repasses ao Partidos dos Trabalhadores.

De acordo com o portal, as informações estão em 1 termo da 1ª delação fechada por Palocci com a Polícia Federal, em Curitiba, durante depoimento prestado em 13 de abril de 2018. A delação foi homologada pelo TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) em junho do ano passado. O depoimento foi anexado ontem (17.jan) ao inquérito sobre a Usina de Belo Monte, que tramita em sigilo.

Nos depoimentos, Palocci diz ter repassado dinheiro a Lula em caixas de celular e de uísque. Segundo Palocci, motoristas do ex-presidente serviriam de testemunhas para os repasses.

Em nota, a defesa do ex-presidente Lula disse que as histórias foram plantadas e que o Ministério Público deveria analisar “outros motoristas e outros sigilos”, em uma possível referência ao motorista do filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro. O senador eleito usou sua prerrogativa de foro privilegiado para pedir que o caso fosse analisado pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Ainda em nota, a defesa de Lula afirmou que não há provas contra o ex-presidente. “A Lava Jato tem quase 200 delatores beneficiados por reduções de pena. Para todos perguntaram do ex-presidente Lula”, diz a nota. “Nenhum apresentou prova nenhuma contra o ex-presidente ou disse ter entregue dinheiro para ele.”

A defesa afirma que Palocci conseguiu fechar seu acordo de delação com o Ministério Público “inventando histórias sobre Lula”. “O que sobra são historinhas para gerar manchetes caluniosas.”

– RADAR 24 HORAS – Informações de: G1

Adicione o WhatsApp do RADAR 24 HORAS – (73) 9 8844 5573
Você poderá enviar vídeos, fotos ou informações. A sua informação é importante pra nós, grave ou registre imagens com o seu celular (preferência tela deitada “horizontal”), deixe sua sugestão! Você Repórter
______________PUBLICIDADE_______________

Vinhetas e produções com a qualidade que você e a sua empresa precisa e merece.

Comente esta matéria!

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *